sábado, 20 de junho de 2009

Clichê

Como já ouvido, uma mistura de clichês. 
Nada de novo. 
Sentindo-me ridículo diante do magnífico 
que se mostra ao olho alien.

A vontade de ter o que sempre julguei ser próprio, 

sempre quis que o fosse, 
sempre lutei pra o ser. 
A voz alheia que se mostra 
Mais audível, inteligível, excêntrica, interessante.

Belíssimo, sim. 
Ridículo, sim também. 
Triste? Mais ainda. 
Mas a essência permanece, 
do fingidor
um profissional que sou.

Nada de belas faces, 
belos sons, 
boas imagens, 
bons intentos. 
Ruins, ímpios, malignos, 
difíceis, imaturos, corações. 
Mas continuo.

4 comentários:

Kaio disse...

Ótimo seu texto.
Convenhamos, conseguiu mostrar que você é uma pessoa simpática usando a modéstia!
Um dom incrível. E pelo pouco que te conheço, penso que se encaixa perfeitamente a você.

It's beautiful!
;)

Lucas Rigonato disse...

Obrigado pelos elogios tecidos. Na verdade não foi intenção, oq talvez mostre ainda mais q é verdade.

Mas, quem é vc??

Zeka Viola disse...

Bravo!!!!!!!!

Zé Abrão disse...

clichê é diversão, bro!