terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Comela

sempre q sentido
sempre diferente,
mas nunca outra coisa,
sempre o mesmo. 


queria nao ter medo de coisa alguma.
mas ainda assim nao perder minha capacidade de temer. 


assim vai longe tudo que não quero ser.
longe não-bastante de tudo que já quis ser.
longe de onde nunca quis estar.
bem onde não estou, do lado do nunca em que estive

3 comentários:

Lara Neves disse...

Ain... deu um aperto no coração...

Françalacc disse...

Gostei....

tinoco disse...

é saber que um dia eu estive lá
nesse lugar de onde não quero e quero sair...
Bonito Lucas... quero passar mais tempo aqui.