quarta-feira, 27 de julho de 2011

Julio

Agora escrevo pássaros.
Não os vejo chegar, não escolho,
de repente estão aí,
um bando de palavras
a pousar
uma
por
uma
nos arames da página,
entre chilreios e bicadas, chuva de asas,
e eu sem pão para dar, tão somente
deixo-os vir. Talvez
seja isto uma
árvore
ou, quem sabe,
o amor.

Cortázar

3 comentários:

Fran Rodrigues disse...

Belíssimo né?

W. Cris ") disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
W. Cris ") disse...

Amei o post, muito claro,linguagem simples direta e bastante compreensível. Um post tão sei lá, bonito realmente esse ficou legal.
Só que vou ler de novo pra entender o assunto.

Voce menciona como é o processo de composição pra voce, até aí certo. Só que pelo que entendi, esse momento de muita criatividade, e seguido pelo amor..Desculpe a ignorancia, mas é..