segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Dessilêncio

A Procura por um novo resulta agora no desejo que não some.
E a lucidez parece roubada, perdida, enterrada.
O silencio familiar dos dias comuns, perde morada.
O mais louco dos sentimentos, pede a sua.

E o medo, senta feliz em seu trono de glória. Tem seu espaço livre de desapropriações.

4 comentários:

Zeka Viola disse...

Concentrado Desconcertante

Lara Neves disse...

O medo... sempre tao presente!

Maxuell Marques Mendes disse...

Eu só sigo, mais nada.
^^
bjo.

max disse...

w