segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Exíguo

O ignorante, na sua exiguidade
Sai a oferecer provérbios tolos,
Julgamentos infundados,
Conceitos insuficientes,
Sabedorias incautas,
Pérolas valiosas,
Contudo, a quaisqueres 
e com mãos emporcalhadas.

Atenta ao que te foi ensinado,
Pequeno.
Primeiro escuta,
Segundo escuta,
Terceiro escuta,
...
Então fala.

Enxerga sua pequenez,
Seus lábios escassos,
Sua língua balbuciante.
Olha essa trave.
Então fala.

5 comentários:

Bloco de Notas disse...

ta bravo... rensga....

Maxwel Quintão disse...

Excelente!

Maxwel Quintão disse...

Gosto do teu blog, ja estou a seguir!

David de Oliveira disse...

Ei Lucas, ótimo texto!!

Márcia Japiassú disse...

Você escreve demais