quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Incapaz

Já não se sabe mais onde está a raiz da dor. O que causa esse desespero, esse monstro que a qualquer momento sai, grita, sangra. Não há controle nem reconhecimento. É terreno novo, inexperiência, insegurança. Os gemidos já fazem parte do dia-a-dia. E o clamor sincero dos amigos não mais parece ter força. A capacidade de despertar e perceber que tudo foi somente um sonho ruim parece não existir. A escuridão e o cinza são a realidade.

Não queria que assim fosse, que se fosse. Nesse maldito momento em que se encontra o amor, o aconchego, a segurança, a cumplicidade, a risada gostosa, o carinho, as refeições, as lembranças de um tempo tão curto, a certeza da significância, a dor por ter sido tão pouco. Não há certeza de que seja somente esse momento de vulnerabilidade. O concreto deste momento é que essa noite assistiu as lágrimas e ouviu os urros. Meus.

Desespero, pois o melhor atributo parece ter se perdido. A elegância da arte profissional em que tão bem se saía nao mais lhe pertence. Um poeta? A dor confundiu-se, difundiu-se. A linha entreo poeta e o outro tornou-se impossível determinar. Há que desistir de si.

6 comentários:

Lara Neves disse...

Vou até onde eu puder carregando a gente por aí. Agora posso suportar. Agora é minha vez de cuidar de vc. Eu não desitirei! Vc não desistiu de mim qdo eu quis. Continuo clamando. Fica, fica aqui do meu lado... deixa meu abraço apartar este monstros todos. Vc pode. Eu sei e vc sabe.

Bloco de Notas disse...

Brothers 4ever!
Sempre estarei para voce, sempre.
Assim como uma corrente alternada pode ser domada e se tornar uma corrente continua, isso paulatinamente vai estabilizar dentro de voce, e voce se tornarah forte como sempre foi.
amo, amo muito voce.

Fran Rodrigues disse...

"Há que desistir de si", qd esse este já não nos comporta, qd não o vemos no espelho. Crescemos e ele permanece estanque. Daí o desespero.
Há que desistir de si não em função de qq outro, mas da gente mesmo, que é grande demais pra caber nesse 'si' antigo.

(Sei que o texto que vc escreve nem sempre é o que eu leio)

Lucas Rigonato disse...

verdade.

Zeka Viola disse...

DesistirXresistir princípios da física a mesma que atraiXrepele os corpos que se amamXodeiam, alías vc não é único e seus sentimentos são partilhados por amigos que te amam.

Blog do ZARDINI disse...

Sabe Lucas, pude ver você. Vi cada lágrima e ouvi cada urro. E o clamor sincero dos amigos mostra sua eficácia no seu desespero, nas suas lágrimas e nas suas saudades. A noite mais escura, como você sabe, apenas faz sala para o amanhecer.

Te amo Irmão Lucas!